terça-feira, 29 de junho de 2010

Convencidos pela Igreja 4 paraibanos portadores do HIV abandonam o tratamento e morrem

imageÉ um Absurdo. 4 paraibanos foram convencidos pela Igreja que o deus deles lá o haviam curado da AIDS e consequentemente todos os 4 abandonaram o tratamento.

RESULTADO ??? Morreram !!!!

Confiram aê a notícia completa do Jornal O Norte

Fé em falsa cura leva portadores de HIV à morte

A cura da aids ainda é um sonho para milhares de pessoas que contraíram o vírus e continua sendo um desafio para os cientistas de todo o mundo. E, apesar de o Brasil ser um dos poucos países a disponibilizar gratuitamente o tratamento com 21 medicamentos que podem prolongar a vida dos pacientes por décadas, em João Pessoa, pelo menos quatro portadores do HIV morreram depois de atribuírem a baixa nos exames de carga viral a um milagre ou cura espiritual, o que foi propagado nas igrejas que freqüentavam. Por terem abandonado o tratamento em nome da fé que tinham, esses pacientes abriram espaço para a ocorrência de doenças oportunistas, que encerraram a expectativa de vida deles.

A relação conflituosa entre a doença e a espiritualidade, culminando na morte de quatro vítimas, não consta dos registros oficiais do banco de dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), uma vez que a causa do falecimento é atribuída a alguma doença, como tuberculose,toxoplasmose ou câncer. Mas, a informação sobre a existência desses fatos foi repassada pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) da capital e confirmada no Hospital Clementino Fraga, no bairro de Jaguaribe. "Essas informações nos chegaram de maneira informal.

Duas pessoas que a gente tinha conhecimento abandonaram o tratamento porque acharam que foram curadas depois de fazer o exame de carga viral.

Também soubemos de outros dois casos com essa mesma situação", disse o diretor do Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) da SMS, Roberto Maia.

Ele explicou que a confusão na cabeça dos pacientes em tratamento pode ter se instalado no momento em que eles fizeram os exames para saber como estava o índice viral, que geralmente tem uma baixa a partir do momento em que se começa a tomar os remédios. "Isso não significa, no entanto, que a pessoa não tenha mais o vírus, ou que esteja curada. Na verdade, a doença está controlada", disse Roberto Maia. A médica infectologista do Clementino Fraga, hospital referência em doenças infecto-contagiosas e local de dispensação dos medicamentos em João Pessoa,

Adriana Cavalcanti, também confirmou a informação desses casos e alertou para a importância da continuidade do tratamento. "Se o paciente fizer bem o tratamento, a carga viral "zera", mas isso não quer dizer que a pessoa não tenha mais o vírus. Se a pessoa deixar o tratamento, o índice vai subir de novo", ressaltou.

A infectologista ainda acrescentou que toda semana atende pelo menos um paciente que retorna ao hospital afirmando que abandonou o tratamento por diversos motivos. As causas variam desde os efeitos colaterais da medicação, o medo de que a família descubra, um quadro clínico de depressão e até mesmo causas religiosas. Geralmente, os sintomas de fraqueza e diarréia começam a aparecer, e além de prejudicar o tratamento, a falta da medicação também pode afetar a resistência do vírus, fazendo com que o paciente tenha que usar outros antirretrovirais mais fortes para se cuidar. "O objetivo do tratamento é fazer com que as pessoas tenham uma vida normal.

Cada caso deve ser analisado e o controle da doença depende do paciente. Só que depois que se começa um tratamento, ele não pode parar e segue para o resto da vida", frisou.

(fonte: o norte)

Postado Por Anderson Azevêdo (@OCaicoense)

Nenhum comentário:

Related Posts with Thumbnails

Ultimas Postagens